Escritor do mês

Abril 2016

António Torrado

António Torrado nasceu em Lisboa, no ano de 1939.
Publicou o seu primeiro livro aos 18 anos, tendo, neste momento, mais de 120 obras publicadas. 
É um dos autores mais importantes da literatura infantil portuguesa, tendo recebido vários prémios em Portugal e no Brasil (Grande Prémio Gulbenkian da Literatura Infantil, 1988, e Prémio da Associação Paulista dos Críticos de Arte, 1994). A sua obra integra textos de raiz popular e tradicional, poesia e inúmeros contos.
Licenciado em Filosofia pela Universidade de Coimbra, foi também professor do ensino secundário, tendo sido afastado em 1966 por motivos políticos. Escritor, pedagogo, jornalista, editor, produtor e argumentista para televisão, trabalhou ainda com Maria Alberta Menéres em diversos livros e programas de televisão.
Foi sócio fundador da Associação Portuguesa de Escritores, do Instituto de Apoio à Criança e da Sociedade Portuguesa de Autores. 
Recentemente começou a trabalhar em novelas e romances para a infância e a juventude, mas a atividade a que se dedica mais intensamente é o teatro, sendo professor de Escrita Dramatúrgica na Escola Superior de Teatro e Cinema e dramatugo residente da Companhia de Teatro Comuna, em Lisboa.

Fonteshttp://www.portaldaliteratura.com
            http://www.dglb.pt

Obras do escritor disponíveis nas Bibliotecas do Agrupamento






Fevereiro 2016

Gil Vicente


Gil Vicente nasceu na cidade de Guimarães (Portugal) em 1466 e morreu em 1536.
É considerado o primeiro grande dramaturgo português, além de poeta de renome.
Além de homem de teatro, parece ter também desempenhado tarefas de músico, ator e encenador. É considerado o pai do teatro português, ou mesmo do teatro ibérico, já que também escreveu em castelhano (partilhando a paternidade da dramaturgia espanhola com Juan del Encina).
Há quem o identifique como ourives, autor da Custódia de Belém, mestre da balança, e como mestre de Retórica do rei Dom Manuel.
A obra vicentina é tida como reflexo da mudança dos tempos e da passagem da Idade Média para o Renascimento, fazendo-se o balanço de uma época onde as hierarquias e a ordem social eram regidas por regras inflexíveis, para uma nova sociedade onde se começa a subverter a ordem instituída, ao questioná-la. Foi o principal representante da literatura renascentista portuguesa, anterior a Camões, incorporando elementos populares na sua escrita que influenciou, por sua vez, a cultura popular portuguesa. 
Principais realizações
·         Escreveu peças de teatro e poemas.

Principais obras
·         Auto Pastoril Castelhano (1502)
·         Auto da Visitação (1502)
·         Auto dos Reis Magos (1503)
·         Auto da Índia (1509)
·         Auto da Sibila Cassandra (1513)
·         Auto da Barca do Inferno (1516)
·         Auto da Barca do Purgatório (1518)
·         Auto da Barca da Glória (1519)
·         Farsa de Inês Pereira (1523)
Fonte: Wikipédia
Pesquisa realizada por: Gaspar Moita; Honnyl Trovoada; Lucas Macrino 9ºA
Obras disponíveis na biblioteca da EBI da Bobadela
 

Janeiro 2016

Ilse Losa

Ilse Lieblich Losa, escritora portuguesa de origem judaica, nasceu na Alemanha em 1913, onde frequentou o liceu e um instituto comercial em Hannover.
Ameaçada pela Gestapo de ser enviada para um campo de concentração devido à sua origem judaica, abandonou a Alemanha em 1930, partindo para Inglaterra onde teve os primeiros contactos com escolas infantis e com os problemas das crianças.
Chegou a Portugal em 1934, ficando a residir na cidade do Porto, onde casou com o arquiteto Arménio Taveira Losa e adquiriu a nacionalidade portuguesa.
Em 1943 publicou o seu primeiro livro, "O mundo em que vivi", que retrata o ambiente de guerra vivido, ainda em criança, na Alemanha. A partir daí dedicou a sua vida à tradução e à literatura infanto-juvenil, tendo recebido o Grande Prémio Gulbenkian em 1984, para o conjunto da sua obra dirigida às crianças. Recebeu também o Grande Prémio de Crónica, da Associação Portuguesa de Escritores, devido à sua obra “À Flor do Tempo”.
Colaborou em diversos jornais e revistas, alemães e portugueses, traduziu antologias de obras portuguesas publicadas na Alemanha, bem como alguns dos mais consagrados autores, do alemão para português.
É autora das obras Faísca conta a sua história, Um fidalgo de pernas curtas, O quadro roubado, A minha melhor história, Beatriz e o plátano, Na quinta das cerejeiras e O Príncipe Nabo, que se podem encontrar nas bibliotecas do nosso Agrupamento.
Faleceu na cidade do Porto a 6 de janeiro de 2006.
Fontes: Wook e Infopédia


Dezembro 2015

José Jorge Letria

“Nasci em Cascais, em 1951, perto do mar que ainda hoje me traz os sons e os aromas que me recordam o melhor da minha infância.

Tive uma infância feliz, com um pai e uma mãe que sempre incentivaram a minha imaginação e a minha criatividade, embora sem imaginarem que eu um dia viria a tornar-me escritor.
Frequentei sempre o ensino oficial e hoje tenho a satisfação de ver o meu nome atribuído à escola onde aprendi a ler e a escrever.
Depois fui estudar na Faculdade de Direito, tomando contacto com os combates dos estudantes portugueses contra a guerra e pela democracia e pela liberdade, integrando-me neles e envolvendo-me pela primeira vez nas coisas da política.”
Integrou, com José Afonso, Adriano e Manuel Freire, entre outros, o movimento da canção de resistência, tendo sido agraciado em 1997 com a Ordem da Liberdade.
É pós-graduado em Jornalismo Internacional, tendo sido jornalista durante mais de 25 anos.
Publicou o seu primeiro livro, “Mágoas territoriais”, em 1973, tendo já mais de uma centena de livros publicados em diversas áreas - poesia, literatura infanto-juvenil, teatro e ficção narrativa. Distinguido com importantes prémios literários nacionais e internacionais, tem livros traduzidos em várias línguas (castelhano, francês, inglês, italiano, coreano, japonês, russo, búlgaro, romeno, húngaro e checo) e está representado em numerosas antologias em Portugal e no estrangeiro.
Durante oito anos foi vereador da Cultura da Câmara de Cascais e é, desde Janeiro de 2011, presidente da Sociedade Portuguesa de Autores.
Fontes:
Podemos encontrar diversas obras deste escritor nas bibliotecas do nosso Agrupamento.


 Outubro 2015

Lewis Carroll
Biografia:
Charles Lutwidge Dodgson foi um escritor inglês que ficou sempre mais conhecido pelo seu pseudónimo: Lewis Carroll.
Nasceu a 27 de janeiro de 1832 em Cheshire (Inglaterra, Reino Unido), tendo falecido no ano de 1898.

Lewis Carroll foi romancista, poeta, escritor de fábulas, artista, fotógrafo e matemático. Lecionou Matemática no Christ College, em Oxford. Escreveu o clássico Alice no País das Maravilhas, além de ter sido também autor de poemas escritos em estilo «nonsense», considerados precursores da poesia de vanguarda.
Curiosidades:
A obra Alice no País das Maravilhas comemora este ano 150 anos de existência. No dia 9 de outubro de 2015, realizar-se-á na Biblioteca Nacional de Lisboa a Conferência Um Dia para Celebrar o 150º Aniversário da Publicação de As Aventuras de Alice no País das Maravilhas.
Deixamos algumas ilustrações e desenhos relacionados com esta obra:


Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lewis_Carroll

Pesquisa realizada por Gaspar Moita, João Prior e Mariana Ponte - 9ºA
 

Junho 2015

Álvaro Magalhães


 
Álvaro Magalhães nasceu no Porto, em 1951. A sua obra para crianças e jovens integra poesia, conto, ficção, textos dramáticos e caracteriza-se sobretudo pela originalidade e invenção.
Álvaro Magalhães foi várias vezes premiado pela Associação Portuguesa de Escritores e pelo Ministério da Cultura. Várias das suas obras integram as listas do Plano Nacional de Leitura e/ou constam das Metas Curriculares de Português. Parte da sua obra está traduzida em Espanha, França, Brasil e Coreia, e a sua conhecida série de ficção juvenil “ Triângulo Jota” foi objeto de adaptação para a televisão.
Álvaro Magalhães é, consensualmente, apontado pela crítica como “uma das vozes mais interessantes da atual literatura portuguesa para crianças e jovens.

Fonte: Magalhães, Álvaro (2014). O limpa-palavras e outros poemas. Edições Asa. 11ª Edição.

 Na tua BE/CRE estão disponíveis, para leitura e requisição domiciliária, muitas obras de Álvaro Magalhães. Ficam, aqui, alguns títulos!




Maio 2015

Almeida Garrett



João Batista da Silva Leitão de Almeida Garrett nasceu em 1799 no Porto, no seio de uma família burguesa, que se refugia em 1809 na ilha Terceira, a fim de escapar à segunda invasão francesa. Nos Açores, recebe uma educação clássica e iluminista (Voltaire e Rousseau, que lhe ensinam o valor da Liberdade). Em 1817, vai estudar Leis para Coimbra, foco de fermentação das ideias liberais.
Iniciador do Romantismo, refundador do teatro português, criador do lirismo moderno, criador da prosa moderna, jornalista, político, legislador, Garrett é um exemplo de aliança inseparável entre o homem político e o escritor, o cidadão e o poeta. É considerado, por muitos autores, como o escritor português mais completo de todo o século XIX.
Em 1854, morre em Lisboa, aos cinquenta e cinco anos.
Em 1999 comemorou-se o Bicentenário do nascimento de Almeida Garrett, com a realização de conferências, publicações das suas obras, espetáculos, atividades escolares, exposições, entre outros eventos.

Fonte: in Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2015. [consult. 2015-04-29 14:33:07]. Disponível na Internet: 


Março 2015

Mia Couto

Nasceu na Beira, Moçambique, em 1955.
Foi jornalista e professor, e é, atualmente, biólogo e escritor. Está traduzido em diversas línguas.
Entre outros prémios e distinções (de que se destaca a nomeação, por um júri criado para o efeito pela Feira Internacional do Livro do Zimbabwe, de Terra Sonâmbula como um dos doze melhores livros africanos do século XX), foi galardoado, pelo conjunto da sua já vasta obra, com o Prémio Vergílio Ferreira 1999 e com o Prémio União Latina de Literaturas Românicas 2007. Ainda em 2007 Mia foi distinguido com o Prémio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura pelo seu romance O Outro Pé da Sereia.
Jesusalém foi considerado um dos 20 livros de ficção mais importantes da «rentrée» literária francesa por um júri da estação radiofónica France Culture e da revista Télérama.
Em 2011 venceu o Prémio Eduardo Lourenço, que se destina a premiar o forte contributo de Mia Couto para o desenvolvimento da língua portuguesa.

Em 2013 foi galardoado com o Prémio Camões e com o prémio norte-americano Neustadt.

Fonte: Couto, Mia.(2012) Mar Me Quer.Editorial Caminho.

 Na tua BE/CRE estão disponíveis, para leitura e requisição domiciliária, muitas obras de Mia Couto.


Fevereiro 2015

Luísa Ducla Soares
“ Nasci na cidade de Lisboa em 1939 e passei a minha infância e juventude mesmo à beirinha do Tejo. O rio é para mim um amigo inseparável.

Entrei com 5 anos para um colégio inglês, com 10 para um colégio francês.

Comecei a escrever poemas mal saí da primária. Aprendi a inventar histórias para entreter o meu irmão mais novo, que era muito endiabrado e só parava quieto com as aventuras que lhe contava.

Tirei um curso de Letras. Estive ligada a editoras, jornais, trabalhei no Ministério da Educação antes de vir para a Biblioteca Nacional, onde estou há 24 anos. Aqui vivo rodeada de 3 milhões de livros!

Tenho 2 filhos, 2 netos. Gosto muito da natureza e dos animais. Não posso passar sem bichos de estimação.

O meu passatempo favorito é escrever. Já publiquei mais de 70 livros, tendo recebido diversos prémios literários.


 Na tua BE/CRE estão disponíveis, para leitura e requisição domiciliária, muitas obras de Luísa Ducla Soares.

Janeiro 2015

Sophia de Mello Breyner Andresen


Sophia de Mello Breyner nasceu a 6 de novembro 1919 no Porto, onde passou a infância. Entre 1936 e 1939 estudou Filologia Clássica na Universidade de Lisboa.

Casada com Francisco Sousa Tavares, passa a viver em Lisboa. Tem cinco filhos. Participa ativamente na oposição ao Estado Novo e é eleita, depois do 25 de Abril, deputada à Assembleia Constituinte.

Autora de catorze livros de poesia, publicados entre 1944 e 1997, escreve também contos, histórias para crianças, artigos, ensaios e teatro. Traduz Eurípedes, Shakespeare, Claudel, Dante e, para o francês, alguns poetas portugueses.

Recebeu entre outros, o Prémio Camões 1999, o Prémio Poesia Max Jacob 2001 e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana.

Foi a primeira vez que um português venceu este prestigiado galardão, que, para além do valor pecuniário de 42 070 euros, significa ainda a edição de uma antologia bilingue (português-castelhano), o que levará a autora a um vastíssimo público que cobre os países latino-americanos.

Com uma linguagem poética quase transparente e íntima, ao mesmo tempo ancorada nos antigos mitos clássicos, Sophia evoca nos seus versos os objetos, as coisas, os seres, os tempos, os mares, os dias. A sua obra, várias vezes premiada está traduzida em várias línguas.

Sophia de Mello Breyner Andresen faleceu a 2 de julho de 2004, em Lisboa, e o seu corpo foi trasladado para o Panteão Nacional precisamente a 2 de julho de 2014, 10 anos após o seu falecimento.

 

Mais sobre Sophia de Mello Breyner Andresen aqui (Biblioteca Nacional).

Na tua BE/CRE estão disponíveis, para leitura e requisição domiciliária, muitas obras de Sophia de Mello Breyner Andresen.




 

Dezembro 2014


Oscar Wilde

Oscar Wilde nasceu em Dublin, no ano de 1854.

Poeta, dramaturgo e ensaísta irlandês foi uma das figuras mais controversas dos finais do século XIX, devido ao seu modo de vida excêntrico e a ideias que desafiavam a moral da época.

Foi educado no Trinity College, em Dublin e mais tarde em Oxford onde liderou o movimento estético que defendia a “arte pela arte”.

Em 1881 foi publicada uma coletânea dos seus poemas.

Em 1882, sem dinheiro, participou em viagens entre os Estados Unidos da América e o Canadá, o que lhe veio a render fama e fortuna.

Entre as suas obras contam-se as peças de teatro O leque de Lady Windermere e A importância de se chamar Ernesto, bem como o romance O retrato de Dorian Grey e  diversos contos.

Morreu como um homem arruinado, no dia 30 de novembro de 1900, na cidade de Paris, após uma série de doenças causadas pelas condições da prisão onde ficou 2 anos, acusado de conduta imoral.


Na tua BE/CRE estão disponíveis, para leitura e requisição domiciliária, algumas obras de Oscar Wilde.




Outubro 2014

ALICE VIEIRA


“Nasci no dia 20 de Março de 1943 …

Desde cedo que os meus brinquedos foram os lápis, as borrachas, os livros. Aprendi a ler e a escrever sozinha, era muito pequena. E os meus amigos eram as personagens que eu descobria nos livros que lia.

Desde pequena que sempre disse “quando for grande quero ser jornalista” – e fui. Comecei cedo a escrever em jornais: Diário de Lisboa, Diário Popular, Diário de Notícias.

Quando os meus filhos eram pequenos, pediram-me um dia que escrevesse uma história para eles: e assim nasceu, em 1979, a Rosa, Minha Irmã Rosa que, nesse ano, teve o Prémio de Literatura Juvenil do Ano Internacional da Criança.

Já publiquei cerca de 40 livros. A maior parte deles são dirigidos a jovens – mas também tenho uma colecção para os mais pequenos de histórias tradicionais portuguesas. No entanto, o que eu gosto mais de escrever é romance.”


            As suas obras encontram-se traduzidas em diversas línguas e editadas em inúmeros países europeus, sendo uma das escritoras portuguesas de literatura infantil e juvenil com maior sucesso.

Na tua BE/CRE estão disponíveis, para leitura e requisição domiciliária, muitas obras de Alice Vieira.





Setembro 2014

QUINO



Autor de banda desenhada (BD), caricaturista e ilustrador, Quino, pseudónimo de Joaquín Salvador Lavado, nasceu na Argentina, a 17 de Julho de 1932.
Mundo Quino, título do seu primeiro livro, foi editado em 1963. Em 1964 surgiu a sua personagem emblemática, Mafalda, a contestatária, série de banda desenhada publicada nos jornais em tiras (curta sequência de quadradinhos).
Inicialmente, Mafalda foi publicada no suplemento de humor da revista Leoplán, com três tiras, passando a surgir regularmente em Primera Plana (1964), depois no El Mundo (1965) e finalmente no Siete Dias (1967), terminando em 1973, apesar do grande sucesso alcançado em diversos países.
 A popularidade e atualidade da Mafalda continuam, apesar da BD desta personagem ter terminado há décadas.
A obra de Quino é muito vasta, encontrando-se editada nas principais línguas. O autor, em Portugal, tem um grande número de livros editados pela Dom Quixote, Bertrand, Teorema e Verbo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário